Vladimir Kush

Vladimir KUSH, Ripples on the Ocean, (Ondulações no Oceano)

Rumi

A vela do navio do ser humano é a fé.
Quando há uma vela, o vento pode levá-lo
A um lugar após outro de poder e maravilha.
Sem vela, todas as palavras são ventos.

Jalāl-ad-Dīn Muhammad RUMI




sexta-feira, 8 de maio de 2009

Realidade virtual

Ontem contei e dramatizei "Sindbad, o Marinheiro" com um grupo de cidadãos inadaptados que estão envolvidos num projecto de formação profissional. (A existência de cidadãos inadaptados revela a qualidade da sociedade em que vivemos...)

Foi muito agradável e divertido e depois ficámos um bocado a conversar, primeiro sobre a história e depois sobre o que foi surgindo.

Às tantas estávamos a falar da primeira viagem à Lua, que o formador e eu nos lembramos de ter visto na televisão, e uma das raparigas disse: "nessa altura ainda eu estava na internet!"

O formador e eu fomos muito rápidos a responder que "nessa altura ainda não havia internet"

Mas ela sabia o que estava a dizer: "pois não, nem eu!"

5 comentários:

tomas disse...

quer dizer que as coisas todas que ainda não existem
e as pessoas todas que ainda não nasceram e os bichos todos
e as plantas que estão para vir

estão todos no mesmo sítio?

almariada disse...

Os aborígenes australianos chamam-lhe "tempo do sonho"

Björk disse...

all the modern things
like cars and such
have always existed

they've just been waiting in a mountain
for the right moment

listening to the irritating noises
of dinosaurs and people
dabbling outside

all the modern things
have always existed
they've just been waiting

to come out
and multiply
and take over

it's their turn now...

L disse...

Entre os inadaptados, quantos serão inadaptados voluntários? Não é uma sociedade muito fácil de nos adaptarmos.
A mitologia dos aborígenes australianos é deveras interessante. O seu "dreamtime"

almariada disse...

Pois é L, uma sociedade que não é para todos...