Vladimir Kush

Vladimir KUSH, Ripples on the Ocean, (Ondulações no Oceano)

Rumi

A vela do navio do ser humano é a fé.
Quando há uma vela, o vento pode levá-lo
A um lugar após outro de poder e maravilha.
Sem vela, todas as palavras são ventos.

Jalāl-ad-Dīn Muhammad RUMI




terça-feira, 2 de maio de 2017

quando não havia espelhos nem relógios

mas já havia pessoas que iam ao vale
às nascentes da água salgada
com vida gasosa
e nas fontes se banhavam
e bebiam
com as flores, as árvores
e os animais que ali viviam
nós ainda não tínhamos nascido

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Monumento às cobaias

Monumento às cobaias usadas para descodificar o DNA.
2013
Desenho de Andrew Kharkevish, escultura de Alex Agrikolyansky, fundição em bronze de Maksimom Petrovym,
Instituto de Citologia e Genética da Academia de Ciências da Rússia em Novosibirsk.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Quem sabe por onde vai

leva sua conta feita,
nunca do caminho sai,
nunca olha a quem diz: «tomai
à esquerda ou à direita.»

Francisco Sá de Miranda (1481?-1558)
in «Sá de Miranda, poesia e teatro», p. 101, Biblioteca Ulisseia de autores portugueses.

segunda-feira, 6 de março de 2017

hum homem que bebia vinho mais do necessário

Do que el-Rey disse a hum homem que bebia vinho mais do necessário

Capitolo CLIII

Hum homem honrado que se nam nomea, folgava de beber vinho, e porque o el-rey nam bebia, avia-se por tacha e todos em geral trabalhavam por seguir as obras e condiçam d'el-rey. E este homem aas vezes lhe fazia o vinho dano de que el-rey tinha desprazer. E hum dia o mandou chamar e elle por nam cheirar a vinho comeo folhas de loureyro a que muito cheirava; e el-rey lhe disse: "Foam, debaixo desse louro a como vale a canada?"; de que o homem ficou envergonhado e trabalhou de se emendar.

Vida e feitos d'el Rey Dom João Segundo, Livro das Obras de Garcia de Resende (1545), Fundação Calouste Gulbenkian, 1994, p.381