Vladimir Kush

Vladimir KUSH, Ripples on the Ocean, (Ondulações no Oceano)

Rumi

A vela do navio do ser humano é a fé.
Quando há uma vela, o vento pode levá-lo
A um lugar após outro de poder e maravilha.
Sem vela, todas as palavras são ventos.

Jalāl-ad-Dīn Muhammad RUMI




quinta-feira, 19 de março de 2009

A agulha e a linha 1

"Fez o que os homens sempre fizeram e sempre hão-de fazer até à consumação dos séculos. Segurou a agulha imóvel e tentou fazer passar a linha pelo buraco, o que é exactamente o oposto do que faz uma mulher."

Mark Twain, O Príncipe e o Pobre, tradução de Domingos Monteiro, p. 101, Inquérito, Lisboa, s/ data mas anterior a 1967

8 comentários:

WOLKENGEDANKEN disse...

Aha,até inventaram diferencas de sexo nisso !! :(( Pois eu tambem faco "o oposto do que faz uma mulher". Terei que ter agora problemas de identidade de sexo ou deixar de tocar nas agulhas :))

ALMARIADA disse...

Que comentário tão rápido!

Ainda mal tinha acabado de publicar o post!

Pois, ou há aqui um problema de tradução ou outro tipo de confusão... :)

Freud não se lembrou disto? ;)

tomas disse...

os loiros e os morenos também fazem de forma diferente?

ALMARIADA disse...

Eh, eh, eh, eh... ;)

Já agora como é que tu fazes?

WOLKENGEDANKEN disse...

Confusao porque ? O texto nao disse bem claro que so os homens "Seguram a agulha imóvel e tentam fazer passar a linha pelo buraco, o que é exactamente o oposto do que faz uma mulher." Uma de muitas afirmacoes absurdas referente as diferencias entre os sexos (generos ? )

Freud ? Tenmho de meditar sobre o que Freud teria dito sobre este "assunto" :)))

tomas disse...

eu?
com a agulha imóvel

mas acho que é porque tenho os olhos castanhos

(além de avisos de comentários nos nossos posts, devia haver avisos de respostas a comentários nos posts alheios!)

L disse...

É como a lança e taça do Graal

almariada disse...

achei que podiam gostar de ler este conto de Machado de Assis:

http://www.releituras.com/machadodeassis_apologo.asp