Vladimir Kush

Vladimir KUSH, Ripples on the Ocean, (Ondulações no Oceano)

Rumi

A vela do navio do ser humano é a fé.
Quando há uma vela, o vento pode levá-lo
A um lugar após outro de poder e maravilha.
Sem vela, todas as palavras são ventos.

Jalāl-ad-Dīn Muhammad RUMI




quinta-feira, 29 de março de 2012

A Srª McGinty morreu

Um jogo de crianças. Costumávamos jogá-lo quando éramos pequenos. Formávamos uma grande fila. Era uma brincadeira de perguntas e respostas ininterruptas. «A Srª McGinty morreu!» «Como morreu ela?» «Com um joelho em terra, como eu.» Seguia-se uma nova pergunta. «A Srª McGinty morreu! Como morreu ela?» «Estendendo a mão, como eu.» E lá estávamos ajoelhados com os braços direitos estendidos. Finalmente a última pergunta: «A Srª McGinty está morta! Como morreu ela?» «Assim!» A fileira de crianças era sacudida por um movimento rápido e todos caíamos no chão.

Agatha Christie, Poirot Contra a Evidência, p.11, Edição Livros do Brasil, Lisboa, s/ data

na imagem: capa da 1ª Edição, 1952

sexta-feira, 23 de março de 2012

NO CAMPO

Livro de Leitura
1ª Classe
João Grave e F. J. Cardoso Júnior
Ilustrações de Laura Costa
Livraria Chardron de Lello & Irmão, Limitada
144, Rua das Carmelitas - PORTO
1929
imagem aqui
ver mais sobre este livro aqui

quinta-feira, 22 de março de 2012

o generoso sistema

«Ainda mal! que se para tão generoso sistema não faltaram homens, falharam os homens nos meios e modos de sua aplicação. Não foi erro deste ou daquele, como a inveja, a intriga, o ódio, e os partidos cegamente proclamaram; mas erro comum, geral, em que todos pecaram, para que todos concorreram com sua quota de faltas, as quais todas procederam de uma só e única origem, - o errado método de se estabelecer aquele sistema.»

A. Garrett: «Da Europa e da América, e de sua mútua influência na causa da civilização e da liberdade», O Popular, v. IV, nº XIX (Maio), Londres 1826, p. 69

in Obras Completas de Almeida Garrett, Obra Política, Escritos do Vintismo (1820-23), p. 126, Editorial Estampa, Lisboa, 1985

imagem aqui

terça-feira, 20 de março de 2012

pensar

Se pensas que penso em ti
Não penses que pensas mal
Que eu nunca pensei em ti
Nem penso pensar em tal

Subsídio para o Cancioneiro Popular Alentejano, Quadra Popular 5156, Mina da Juliana (Aljustrel), p. 542, Instituto Nacional de Investigação Científica, Lisboa, 1980

segunda-feira, 19 de março de 2012

Reconstrução Artística da Ponte de Trajano

Ponte sobre o Danúbio construída de 103 a 105 d.C. pelo arquitecto grego Apolodoro de Damasco para a passagem do exército Romano. Teria 1,135m de comprimento, 15m de largura e 19m de altura a partir da superfície do rio. Desenho do engenheiro E. Duperrex em 1907.

sexta-feira, 16 de março de 2012

guindaste medieval de Gdansk

Polónia, séc. XIV, guindaste construído em tijolo e madeira para descarregar os barcos

a estrutura sobreviveu ao incêndio de 1936 e as partes de madeira foram reconstruídas

aguarela de Antoni Wippel (1882-1969)

quinta-feira, 15 de março de 2012

Belgica antarctica

O Belgica ancorado em Mount William
Durante a viagem pioneira do S. Y. Belgica à Antárctica na última década do séc. XIX Emile G. Racovitza apanhou um mosquito sem asas e a sua larva que se sabe agora ser o insecto livre holometabólico que ocorre mais a Sul.

(Holometabolismo é o nome que se dá ao desenvolvimento de uma espécie com as fases de ovo, larva, pupa e adulto bem definidas.)

Jacobs (1900) atribuiu este mosquito ao género Belgica no qual Belgica Antarctica constitui a única espécie conhecida.

in NOTES ON THE CHIRONOMID MIDGE BELGICA, ANTARCTICA JACOBS AT ANVERS ISLAND, IN THE MARITIME ANTARCTIC

quarta-feira, 14 de março de 2012

sonhos de cavalos

Castelos
e livros velhos.
Sonhos de cavalos.
Damas ruivas
e searas.
Às vezes as falas são claras.
Outras mergulham
e correm.
Veios debaixo dos pés.
Nuvens no ar.
Crinas de vento
tingidas.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Não me detenhas

Giotto, c. 1320
Um Guia para a Leitura dos Ícones Ortodoxos (A Reader's Guide to Orthodox Icons) propõe uma viagem de Ocidente para Oriente da pintura que ilustra a frase grega do Evangelho de S. João (20:17) "Μη μου άπτου" (Mi mou áptou), traduzida para latim "Noli me tangere" e para inglês "Touch me not".

Em português a tradução é geralmente: "Não me detenhas", embora também exista: "Não me toques"

sexta-feira, 9 de março de 2012

como roubar tigres bebés

"O cavaleiro roubou uma cria e foi perseguido pelo tigre. O ladrão pode parar o tigre com um truque: atira para o chão uma esfera de vidro e o tigre, vendo o seu próprio reflexo, pára para cuidar da esfera como uma cria. Acaba por perder tanto a vingança como o bebé." in O Bestiário de Aberdeen listado em 1542 no inventário da Velha Biblioteca Real no Palácio de Westminster.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Breviário Grimani

Uma imagem deste livro de maravilhas da miniatura flamenga do Renascimento e um link para terem a sensação de o abrir e desfolhar: aqui.

terça-feira, 6 de março de 2012

Tio Vânia

"Tio Vânia" peça de teatro de Anton Tchekov escrita em 1896/7 e representada no Teatro de Arte de Moscovo em 1899, fotografia aqui

segunda-feira, 5 de março de 2012

descaminhos do sal

        Eu ElRei. Faço saber aos que este meu Regimento virem, que fui informado dos descaminhos, que se fazem do sal, que se carrega no Rio desta Cidade, e sahe pela barra fóra, a fim de se sonegarem os direitos, que nelle estão impostos, com muito consideravel perda de minha fazenda; e para se evitar tão grande dano, e saberem os Officiaes, a cujo cargo está a cobrança delles, a fórma, em que hão de proceder, e querendo prover na materia, mandei fazer este Regimento para por elle se declarar a ordem, que daqui em diante se ha de ter na arrecadação dos direitos do dito sal, a qual he a seguinte.

(...)

REGIMENTO DO DIREITO DO SAL NA ALFÂNDEGA DESTA CIDADE DE LISBOA

Systema, ou Collecção dos Regimentos Reaes, Lisboa, 1783, t. II. págs. 262-273

in Virgínia Rau, Estudos Sobre a História do Sal Português, p. 195, Editorial Presença, Odivelas, 1984

imagem: Galeão "Santa Luzia", do século XVII. Reprodução de pintura a óleo de Alberto Cutileiro, aqui